fbpx

Facebook muda o tom contra a Apple e agora é favorável às medidas de privacidade no iOS

O Facebook resistiu até onde conseguiu ao lançamento planejado de ferramentas anti-rastreamento da Apple, mas agora não tem mais como escapar: na última quinta-feira (18), o CEO Mark Zuckerberg disse que a rede social pode estar em uma “posição mais forte” após as atualizações de privacidade para o iOS, e está otimista sobre como a empresa vai enfrentar essa mudança.➜ Facebook pode ser investigado por suspeita de racismo ‘sistêmico’ em contratações➜ Quem violar as regras do Facebook poderá ser silenciado em grupos por até 30 dias

“A realidade é que estou confiante de que seremos capazes de administrar bem essa situação e estaremos em uma boa posição”, disse Zuckerberg em uma sala do Clubhouse. As informações são dos sites CNBC e CNET.

Com os updates de privacidade programados pela Apple para o iOS 14, que devem ser lançados em meados deste ano, a empresa pretende ser mais transparente com os usuários e permitir que eles tenham mais controle sobre seus dados. Uma das novidades é que, com essas mudanças, o sistema vai solicitar permissão antes que qualquer aplicativo — incluindo o Facebook — possa rastrear o usuário, tanto localmente quanto na web.

O Facebook não gostou muito dessa ideia, visto que cerca de 98% de seu fluxo de receita depende de anúncios direcionados, que são construídos em torno do monitoramento dos hábitos de navegação de cada pessoa. A empresa lançou uma campanha para convencer os usuários de que os anúncios personalizados são bons, inclusive condenando a Apple sob a justificativa de que as atualizações de privacidade propostas pela companhia estão matando as pequenas empresas por não darem ao Facebook e a outros aplicativos carta branca para coletar seus dados.

Em agosto de 2020, o Facebook alertou que as atualizações da Apple poderiam levar a uma queda de mais de 50% em seu negócio de publicidade da Audience Network, que permite aos desenvolvedores de software móvel personalizar os anúncios com base nos dados da rede social. O diretor financeiro do Facebook, David Wehner, também expressou preocupação com a possibilidade de prejudicar a capacidade da rede social de direcionar anúncios aos usuários de maneira eficaz.

Como já era de se esperar, as afirmações do Facebook foram consideradas enganosas. Embora a publicidade possa se tornar um pouco mais difícil para os pequenos negócios e desenvolvedores com as novas atualizações da Apple, o Facebook é quem leva a maior parte das receitas, e não os microempreendedores.

Só que, agora que os updates previstos pela Apple estão mais próximos de serem implementados, o Facebook parece ter adotado uma estratégia mais branda. Na quinta (18), Zuckerberg reiterou as preocupações de que a decisão da Apple ainda possa prejudicar pequenas empresas e desenvolvedores, mas também expressou esperança de que a rede social possa se beneficiar com a situação.

“É possível que possamos estar em uma posição mais forte se as mudanças da Apple encorajarem mais empresas a realizar mais comércio em nossas plataformas ao dificultar o uso de seus dados para encontrar clientes que gostariam de usar seus produtos”, declarou o executivo.

Procuradas pelo Gizmodo US, as duas companhias ainda não se pronunciaram sobre o assunto. Contudo, por várias vezes, a Apple já havia defendido suas novas medidas, argumentando que, no caso do Facebook, elas não eliminariam totalmente os anúncios direcionados. Em vez disso, apenas permitiria que o usuário cancelasse o recurso por conta própria, caso assim o desejasse.

Fonte | Gizmodo