fbpx

Apple renova liderança no mercado de wearables

A Apple lidera a tabela das marcas que mais vendem dispositivos wearable, segundo dados da IDC, referentes ao terceiro trimestre deste ano. Em comparação com o mesmo período do ano passado, trata-se de um crescimento de 19,5 milhões de unidades.

A Apple ocupa o primeiro lugar da lista, com remessas de 29,5 milhões de unidades. No terceiro trimestre do ano, a quota de mercado da tecnológica norte-americana ascende aos 35%, uma considerável subida em relação ao mesmo período de 2018, em que registava uma quota de 23%. Segundo a IDC, dispositivos como o Apple Watch ou os auscultadores sem fios AirPods impulsionaram os resultados da Apple.

O segundo lugar da tabela pertence à Xiaomi, com remessas na ordem dos 12,4 milhões de unidades. Em comparação, a Apple tem mais do dobro da quota de mercado da Xiaomi. A região EMEA (Europa, Médio Oriente e África) contribuiu significativamente para este crescimento da Xiaomi, graças à Mi Band.

O terceiro lugar desta tabela pertence à Samsung, com remessas de equipamentos de 8,3 milhões de unidades. A tecnológica sul-coreana encerra o terceiro trimestre de 2019 com uma quota de mercado de 9,8%. A empresa eleva a quota de mercado em relação ao período homólogo de 2018, quando detinha 7,4% do mercado. A IDC aponta que estes resultados foram influenciados pelo lançamento de apostas neste mercado dos dispositivos wearable, como os auriculares Galaxy Buds ou as apostas no mundo dos smartwatches.

A chinesa Huawei registou remessas de 7,1 milhões de unidades no terceiro trimestre do ano, uma subida em relação aos 2,3 milhões do mesmo período do ano passado. A quota de mercado situa-se agora nos 8,4%.

A Fitbit, recém-adquirida pela Google, tem a menor quota de mercado, com 4,1%. No total, a empresa regista remessas de wearables na ordem dos 3,5 milhões de unidades. Embora registe a mesma quantidade de unidades do terceiro trimestre de 2018, a Fitbit perde quase metade da quota de mercado entre 2018 e 2019.

No total, as remessas de equipamentos wearable, onde estão incluídos relógios inteligentes e pulseiras de fitness, por exemplo, ascenderam aos 84,5 milhões de unidades. Em comparação com o período homólogo de 2018, trata-se de aumento considerável: no terceiro trimestre do ano passado, as remessas situavam-se nos 43,4 milhões de unidades.

Fonte | Insider (Diário de Notícias)



%d bloggers like this: